domingo, 1 de maio de 2011

A função do pedagogo na escola pública



 Pedagogo-administrador,  pedagogo-supervisor, pedagogo-orientador.

No cotidiano freqüentemente nos deparamos com a seguinte indagação: “o que faz o pedagogo”? “qual a função do pedagogo”? dando a impressão que os autores destas perguntas desconheçam  qual é a função do pedagogo, o que ele faz, onde atua. Podemos entender essa alienação sobre o que faz o pedagogo como uma conseqüência da falta deste profissional na escola, isto porque a função do pedagogo está sendo exercida por outros profissionais da educação. Diante disso é que sentimos a necessidade de fazer esta reflexão sobre o papel do pedagogo na escola pública.
Para a realização deste trabalho fizemos pesquisa bibliográfica, e fizemos uso da nossa experiência enquanto acadêmicos.
Pretendeu-se que este trabalho proporcionasse, de forma muito sintética, mas objetiva, uma familiarização com as principais funções do pedagogo na escola pública, como também refletir sobre a importância deste profissional para a educação.
Como o campo de atuação deste profissional na escola é amplo (diretor, professor, supervisor, orientador, consultor, pode trabalhar também em empresas públicas e privadas) nos limitamos neste artigo a falar sobre o pedagogo-administrador, pedagogo-coordenador ou supervisor pedagógico, pedagogo-orientador, e por último a ausência do pedagogo na escola pública.
Entendemos que é urgente a necessidade de colocar este profissional no lugar que é seu de direito, até porque o pedagogo é especialista em educação por excelência, ou seja, é aquele que detêm os métodos e técnicas a ser utilizado no processo ensino-aprendizagem.

O pedagogo administrador
O pedagogo-administrador escolar gerencia  e supervisiona  o sistema de ensino cabendo a ele elaborar as políticas educacionais dentro de um contexto sócio-político-cultural, visando condições adequadas (materiais e ambientais) para a formação dos alunos.
É necessário que o pedagogo-administrador além de dominar as técnicas da ciência da administração, conheça também o contexto sócio-político-cultural da sociedade na qual está inserido, só assim, ele poderá administrar de forma eficaz, propondo soluções adequadas às mais variadas situações que forem surgindo.
“Na medida em que a prática da administração escolar é tratada ‘puramente’ técnica, são omitidas as suas articulações com as estruturas econômicas, política social, obscurecendo a análise dos condicionamentos da educação...”. (FELIX, 1989, p. 81-2)
são muitos os papéis a serem desempenhados pelo diretor dentro da escola, na área da gestão, animação e avaliação , exigindo deste a competência técnico-pedagógica para garantir o sucesso do processo ensino-aprendizagem.
O pedagogo-administrador não é o único responsável pela administração escolar, embora o corpo docente tenha funções diferentes, todos estão envolvidos direta ou indiretamente com a administração escolar, inclusive o educando e a sociedade.

O pedagogo supervisor
O papel do pedagogo supervisor na escola pública é auxiliar o corpo docente, visando aperfeiçoar o desempenho deste na utilização dos recursos didáticos, na metodologia de transmissão do conteúdo, e por fim, propor qual o tipo de avaliação  que proporcione resultados mais significativos ao desenvolvimento dos educandos.
“A atuação do pedagogo escolar é imprescindível na ajuda aos professores no aprimoramento do seu desempenho na sala de aula (...), na análise e compreensão das situações de ensino com base nos conhecimentos teóricos, ou seja, na vinculação entre as áreas do conhecimento pedagógico e trabalho em sala de aula”. (LIBÂNIO, 2000,p.54)
O pedagogo-supervisor deve conhecer os problemas, necessidades e recursos existentes na escola, só assim ele pode propor alternativas eficazes, que atendam as necessidades da escola onde atua.
Portanto é evidente que a atuação do pedagogo-supervisor na escola contribui com o processo ensino-aprendizagem, resultando em mudança de atitude do corpo docente e dos educandos, cujo resultado final é a melhoria no desempenho destes.

O pedagogo-orientador
A função do pedagogo-orientador é de assistir o aluno e toda a equipe que está envolvida no processo ensino-aprendizagem (professores, familiares e a sociedade), propondo alternativas que visem à redução da evasão escolar e o acesso de todos à escola, tornando-a igualitária e democrática.
Para que o pedagogo-orientador desempenhe sua função com diligência é necessário além da formação, que ele tenha condições adequadas de trabalho. Isso significa dizer que é preciso observar o número de alunos que o pedagogo pode atender sem comprometer a qualidade do processo.
“Numa escola com o número elevado de alunos em proporção a orientadores (...) ocorre certamente o atendimento de uns poucos alunos, ficando a maioria deles sem receber os benefícios da orientação educacional”. (Id.,Ibid,p.27)
Não há uma ação única que venha proporcionar melhoras no processo ensino-aprendizagem, mas, todas as funções didáticas são interdependentes, pois buscam um alvo comum: o sucesso do educando.
“A escola se compõe de um conjunto de funções, (...) e todas elas influentes, de sorte que a maneira como são conduzidas as ações em uma determinada área, afetam, de alguma forma as ações de outra área”. (LÜCK, 2001,p.78)

A ausência do pedagogo na escola pública
Como já foi afirmado no início deste trabalho, a função do pedagogo está sendo exercida por outros profissionais da educação, fator este que pode comprometer o processo de aprendizagem. 
O pedagogo é o profissional habilitado (por lei e formação) a preparar, administrar e avaliar currículos, programas escolares, além de estabelecer vínculos entre instituições de ensino, comunidade, familiares dos alunos e autoridades do setor educativo.
“...a presença do pedagogo escolar torna-se, pois, uma exigência do sistema de ensino e da realidade escolar, tendo em vista melhorar a qualidade da oferta de ensino para a população”. (LIBÂNEO,2000,p.55)
A nossa intenção é colocar o pedagogo no lugar que é seu de direito, o qual vai somar com os outros profissionais da educação e não fazer concorrência, pois todos os profissionais da educação têm uma função específica no processo ensino-aprendizagem, e o sucesso da escola depende da ação conjunta de todos.

Conclusão
Como foi dito anteriormente a função do pedagogo não está sendo exercida pelo mesmo, fator este que pode comprometer a qualidade do processo ensino-aprendizagem, percebe-se que é urgente a necessidade de colocar este profissional no lugar que é seu de direito, afinal, o pedagogo é especialista em educação por excelência, ou seja, é aquele que detêm os métodos e técnicas a serem utilizados no processo ensino-aprendizagem.
Pensa-se que o resultado obtido nesta pesquisa satisfaz os requisitos de objetividade e pequena dimensão que pretendia atingir. Pensa-se também que constituirá um auxiliar útil, de referência para o leitor que pretenda conhecer as principais funções do profissional da pedagogia. 
REFERÊNCIAS
SILVA, Marinalva da. O pedagogo na escola: um profissional que faz a diferença. 2002. 52 p.
Monografia apresentada ao curso de pedagogia da UFMA, como requisito para a obtenção do grau de Licenciatura Plena em Pedagogia.
http://www.enciclopedia.com.br.
GADOTTI, Moacir. Educação e poder: introdução à pedagogia do conflito. Ed. Cortez. São Paulo. 1991.
Publicado em 22/06/2004 09:18:00
A FUNÇÃO DO PEDAGOGO NA ESCOLA PÚBLICA
Francisco Duque S. B. Filho
Artigo Científico apresentado ao profº José Batista de Oliveira.








Nenhum comentário:

Postar um comentário